odontopediatria
ODONTOPEDIATRIA

É a especialidade que te ajuda a garantir que os dentes do seu filho permaneçam saudáveis e livres de cárie e outras doenças dentárias. A boa higiene bucal começa tão logo quanto a infância, desde o nascimento!

ortodontia
ORTODONTIA

Especialidade que tem como objetivo a prevenção, a supervisão e a orientação do desenvolvimento do aparelho mastigatório e a correção das estruturas dento-faciais, incluindo as condições que requeiram movimentação dentária, bem como harmonização da face no complexo maxilo-mandibular.

Ortopedia Funcional dos Maxilares
ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES

Essa especialidade contempla o tratamento de problemas que vão desde a arcada dentária até o maxilar, especialmente em crianças e adolescentes. Esses distúrbios que afetam as estruturas muscular e óssea do paciente, quando corrigidos a tempo, resultam em uma melhor harmonia facial.

Sedação Consciente com Óxido Nitroso
SEDAÇÃO CONSCIENTE COM ÓXIDO NITROSO

É uma técnica na qual o paciente permanece acordado e responsivo, porém com alteração no seu limiar de dor. O que faz com que a criança tenha um tratamento sem traumas e de maneira eficiente.

Tratamento em ambiente hospitalar
TRATAMENTO EM AMBIENTE HOSPITALAR

Indicada em muitos casos onde o tratamento no consultório não é possível. A criança pode passar pelo procedimento no hospital de maneira segura e sem traumas para criança ou família.

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

Dentista de Criança!

Odontopediatria

Especialidade que cuida da saúde bucal dos bebês e crianças por meio da prevenção e do tratamento de doenças bucais como como a cárie dentária, gengivite, descalcificações e outras. Além disso acompanha o desenvolvimento orofacial para correção ortopédica em momento oportuno.

 

Sobre o Consultório

O consultório Dentista de Criança Londrina conta com atendimento especializado em Odontopediatria (desde os primeiros meses de vida) e Ortopedia/Ortodontia (aparelhos móveis e fixos). Nosso objetivo é ajudar as família a proporcionarem saúde bucal para seus filhos desde o nascimento, ensinando hábitos saudáveis e muito respeito pela individualizadade.

Além do atendimento tradicional contamos com a Sedação Consciente com Óxido Nitroso e a sedação em ambiente hospitalar em situações que sejam necessárias para realizar procedimentos que irão devolver a saúde bucal sem que a criança crie trauma de dentista como muitos adultos ainda tem.

Atendimento humanizado e respeito pelas famílias é nossa prioridade, melhorar a qualidade de vida por meio da saúde bucal é a nossa missão.

Venha nos fazer uma visita e conhecer um atendimento de qualidade. Além de cuidar e restabelecer a saúde bucal, existe empatia, cuidado, respeito, ética e carinho com cada paciente.

Tratamentos

É preconizado pela OMS( Organização Mundial de Saúde) que o aleitamento materno seja exclusivo até os 6 meses de vida do bebê e complementar até os 2 anos. 

Porém em muitas situações esse momento pode não ser fácil para a recém mãe, pode haver fissura, pega incorreta e em alguns casos uma disfunção oral (quando o bebê não sabe mamar). Mas fique tranquila, tudo isso pode ser melhorado e revertido para que se possa estabelecer uma amamentação tranquila e prazerosa, cada caso deverá ser analisado com suas particularidades e realizado um tratamento adequado com a necessidade de cada mãe e bebê.

Para o sucesso do aleitamento materno é fundamental a mãe ter conhecimento que existem profissionais capacitados para ajudar nesse momento e quanto mais cedo houver intervenção maiores as chances de sucesso, pois quando se introduz bicos artificiais (mamadeira e chupeta) o caso se torna mais complexo devido a confusão de bicos que o bebê irá fazer.

Uma das ferramentas que pode ser utilizada para ajudar em alguns casos, como por exemplo fissuras mamilares causados na amamentação, é a laserterapia que auxiliar na cicatrização da fissura para que a mãe não sinta dor ao amamentar. 

A amamentação é um momento único e muito especial da vida de uma mulher, mas pode não ser fácil então estude muito sobre o assunto ainda na gestação e se empodere para vencer as dificuldades que encontrar no caminho, valerá a pena!

Dificuldade na abordagem, comportamento repetitivo e limitado, recusa para responder alguns comandos são alguns dos desafios encontrados, e muitas crianças não recebem o tratamento odontológico devido ao medo e a falta de profissionais capacitados.

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é caracterizado por dois grandes eixos: dificuldade de comunicação e interação social, e padrões de comportamento e interesses restritos e repetitivos (DSM-V).

O Centers for Disease Control and Prevention (CDCP), em 2010, apresentou uma taxa de prevalência de 1 em 59 crianças com transtorno do espectro do autismo em 2018, sendo no sexo masculino uma prevalência de 4-5 vezes maior do que no sexo feminino.

A dificuldade no processamento sensorial é característica no autismo, com estudos indicando a presença de dificuldade no processamento sensorial em até 95% das crianças. Podendo apresentar uma super responsividade e isso influencia nos cuidados bucais, além de dificultar a cooperação durante o tratamento odontológico.

É fundamental que a criança com Autismo apresente sempre uma saúde bucal adequada e, para isso, é necessário que haja protocolos preventivos.

O cirurgião dentista deve ser capaz de realizar o tratamento de crianças autistas no consultório odontológico e utilizar técnicas de manejo comportamental como a história social prévia a consulta, ambiente sensorial adaptado, utilização de imagens e outras técnicas que podem viabilizar esse atendimento, diminuindo a indicação para anestesia geral.

O CD precisa estar inserido na equipe multidisciplinar!!!

Primeiro vamos entender o que é o famoso canal do dente: é a polpa dental onde estão os responsáveis pela vida do dente como vasos sanguíneos e nervos.

Quando a cárie não é tratada em momento oportuno, ou seja no início, sua evolução pode ser rápida e atingir a polpa do dente (canal do dente), isso mesmo dente de leite também tem canal e também pode fazer com que a criança sinta dor de dente!

Então, será necessário um tratamento para que o canal seja tratado de forma que possamos limpá-lo para eliminar a contaminação que aconteceu por causa das bactérias que ali chegaram e colocar um material biocompatível para preservar a estrutura do dente de leite o máximo de tempo possível na boca da criança.

Você com certeza já ouviu falar que alguém teve cárie no dente, mas será que o bebê e a criança também tem cárie? Tem sim!

Vamos entender então o que é a doença cárie! Segundo o Anuário 02 de Odontopediatria Clínica:

A cárie é definida como uma doença crônica dos tecidos duros dentários, resultante de desmineralização mediada por bactérias que causam, nos estágios finais, a destruição do dente. Isso porque o esmalte dentário, sendo essencialmente um produto de secreção mineralizado, é sujeito às leis de solubilidade como qualquer componente inorgânico ao seu meio ambiente. Alterações de temperatura, capacidade tampão e pH podem levar à solubilização dos cristais de hidroxiapatita. Em situações de normalidade, cálcio e fosfato estão presentes na saliva em condição de supersaturação em relação ao esmalte, o que favorece a manutenção do estado cristalino do tecido  quando em pH 6.8. Entretanto, quando períodos de pH crítico tornam-se frequentes e os episódios de desmineralização são maiores que os de remineralização, desenvolve-se a lesão de cárie. As perdas minerais que ocorrem, primeiramente em nível ultraestrutural, podem chegar até a destruição total do tecido dentário.”

Ou seja, a cárie é causada principalmente pelo desequilíbrio entre a dieta e escovação no dia a dia. A doença cárie não acontece do dia para a noite e nem aparece de repente como um “buraco”, ela apresenta alguns sinais no início, que se controlados podem evitar sua progressão.

O nosso corpo funciona como uma orquestra, em conjunto! Se uma função não vai bem, diversas outras podem começar a ir mal também.

A língua presa, pode desencadear diversos problemas durante o desenvolvimento do bebê, os quais vão muito além da fala:

• Dificuldade na amamentação e ganho de peso;
• Torcicolo;
• Dificuldade na mastigação e deglutição prejudicando a introdução alimentar;
• Problemas na respiração;
• Problemas de crescimento dos ossos da face

Todos esses impactos podem ser causados por uma alteração do freio lingual. Por isso, o diagnóstico e tratamento PRECOCE dessas alterações são de extrema importância, para garantir a qualidade de vida e desenvolvimento saudável do bebê!
O famoso “PIC” não é o tratamento adequado para anquiloglossia (língua presa).

O procedimento cirúrgico deve ser realizado baseado em conhecimento técnico, científico e experiência profissional. Deve-se realizar a correta liberação das fibras que impedem a mobilidade adequada da língua. Além disso, os cuidados pós-operatórios são de extrema importância para o sucesso do procedimento: o trabalho MULTIDISCIPLINAR é indispensável nos casos de anquiloglossia.

Você sabia que o laser cirúrgico pode ser muito utilizado em Odontopediatria?
O laser cirúrgico é uma excelente escolha para cirurgias de freio lingual e labial em bebês e crianças!
Mais segurança e conforto para os pequenos.

O laser é um recurso tecnológico  aplicado em várias áreas da saúde, inclusive na Odontologia, e possui diversas funções terapêuticas e preventivas.

A laserterapia complementa e melhora a qualidade do tratamento odontopediátrico, proporcionando mais conforto aos pequenos.

🔆 O laser pode ser utilizado em diversos tecidos (mole, ósseo etc.) de forma seletiva, e seus benefícios são obtidos pela absorção de sua energia por meio das células do tecido alvo 🎯, garantindo sua efetividade ao mesmo tempo que evita danos aos tecidos adjacentes (ao redor).

O laser de baixa potência possui efeitos: analgésico (para dor), antinflamatório e biomodulador (capacidade de estimular as células a se reorganizarem).

Na prática odontopediátrica, pode-se citar como alguns exemplos de sua aplicação em casos de:

– Estomatites;
– Redução dos sintomas da erupção (nascimento) dentária;
– Analgesia (anestesia) pré-anestésica;
– Aftas;
– Herpes labial;
– Queilite angular (inflamação do canto dos lábios);
– Trismos (contrações involuntárias);
– Parestesia (paralização do nervo);
– Hipersensibilidade dentinária;
– Pós-operatório;
– Diagnóstico de cárie incipiente (inicial);
– Células tumorais, assim como também para descontaminação em tratamento de canal.

Além dos inúmeros benefícios citados acima, a aplicação do laser é indolor e rápida, sendo assim, muito bem aceito pelas crianças e pela família!

(Fonte: Odontopediatria Brasil)

Quem nunca ouviu falar na famosa LIMPEZA NOS DENTES?

Essa limpeza é realizada com equipamentos e materiais específicos de acordo com a idade da criança e ela é fundamental para manter uma adequada saúde bucal, porque é nesse momento que podemos avaliar o dente de forma direta e sem interferência da placa bacteriana/biofilme e tártaro (sujeira), além de passar orientações do que deve ser melhorado na rotina da criança em relação a saúde bucal.

A pergunta mais frequente relacionada ao nascimento dos primeiros dentinhos é com quantos meses os dentes começam a nascer? E para surpresa de muitas mamães, são existe nada exato em relação ao tempo, existem médias e o primeiro dente irá nascer em MÉDIA aos 6 meses de vida do bebê, mas também pode acontecer aos 4 meses ou com 1 ano e está tudo bem nos dois casos.

E quais são os sinais de que esse dente está chegando? O bebê ficará com a gengiva um pouco mais inchada e em alguns casos pode acontecer um hematoma de erupção (processo inflamatório que deixa a gengiva do bebê inchada e com coloração arroxeada).

Já os sintomas do nascimento dos primeiros dentes devem ser um pouco mais conhecidos pelas mamães: a criança fica babando um pouco mais que o normal, coça bastante a gengiva, pode ficar irritada, sem apetite, alterar sono entre outros mudanças de comportamento.

Mas calma, esse momento irá passar e existem estratégias para aliviar um pouco esse momento tão delicado. Nós podemos te ajudar, conte conosco!

ortopedia-funcionalAté que a dentição permanente se estabeleça completamente, uma série de mudanças ósseas e dentais acontecem, sendo todas elas necessárias para que as funções (mastigação, respiração, deglutição e fonação) e a face se desenvolvam em equilíbrio.

Desde a fase de dentadura decídua completa (aquela em que todos os “dentes de leite” se encontram na boca) é imprescindível o acompanhamento da criança sob o ponto de vista Ortopédico e Ortodôntico também! Visar tão somente a presença de cárie ou gengivite já não condiz com a atual Odontopediatria. É necessário vislumbrar o todo, e neste contexto está o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento das arcadas e da face em conjunto com o corpo

Desta forma, é crucial:
1- Monitorar e preservar os espaços presentes no arco dentário, identificando os ausentes e os necessários para acomodar os dentes permanentes que estão por vir;
2- Avaliar a forma como eles se encaixam (“dentes de leite” e permanentes) tal como
3- A relação expressa entre as arcadas (maxila e mandíbula) e os ossos da face, impedindo se necessário, a instalação de uma má oclusão (alteração muscular, óssea e/ou dentária) de maior magnitude, que no futuro poderia resultar em um tratamento mais longo e com custo monetário e biológico mais elevados.

Portanto, tenha em mente que um período de grandes transformações exige vigilância contínua! As consultas do seu filho devem estar sempre em dia, conforme a periodicidade estabelecida pelo seu Odontopediatra, e não somente para ver cárie ou em caso de dor. Ele irá realizar o monitoramento e caso necessário, realizará o tratamento ou o encaminhamento para o Ortodontista.

Você sabe a importância do atendimento odontológico durante a gestação (pré-natal odontológico)?

cuidado com a saúde bucal da mãe durante a gestação é essencial, pois devido às várias mudanças hormonais que estão acontecendo no seu corpo algumas alterações bucais também irão ocorrer como consequência disso, como por exemplo a gengivite (sangramento na gengiva durante a gestação) que deve ser tratada e a gestante deve ser orientada em relação a saúde bucal e sua importância.

Outra informação muito importante para esse momento é que a gestante (de maneira geral) pode sim passar por procedimentos odontológicos, receber anestesia, tratamento de canal, restauração etc, aliás isso é fundamental para manter sua adequada saúde bucal.

Problemas bucais podem até mesmo aumentar o risco de parto prematuro, então esteja atenta em relação ao que acontece na sua boca e não tenha receio em procurar tratamento!

Além disso, a gestante receberá orientações sobre Aleitamento Materno (sua importância, dificuldades e tratamentos) e aprender sobre a saúde bucal do bebê que irá chegar.

Levar a criança desde os primeiros meses de vida para que seja avaliada a normalidade das estruturas bucais, o risco da doença cárie e orientações de acordo com a realidade e dinâmica de cada família é fundamental para que a criança não tenha futuros problemas bucais, queremos garantir uma GERAÇÃO ZERO CÁRIE!

E se a criança chorar?

O choro é a forma de comunicação das crianças de baixa idade, especialmente das que ainda não conseguem se expressar com palavras, então ele é esperado e super normal nesse momento. O bebê/criança será acolhido e atendido com muito carinho e respeito.

Vamos ver qual é a recomendação da Associação Brasileira de Odontopediatria sobre quando levar o bebê ao dentista pela primeira vez:

“Ao nascimento, todas as partes do corpo do recém-nascido precisam ser examinadas pela equipe neonatal da maternidade, inclusive a boca, que é fundamental ao lactente para sugar, deglutir e realizar o aleitamento materno. Os movimentos realizados pelo lactente durante o aleitamento materno fazem com que todas as estruturas orais, como lábios, língua, bochechas, articulações temporo-mandibulares, ossos e músculos, se desenvolvam e se fortaleçam harmonicamente, permitindo uma ação sincronizada das funções vitais de sugar, deglutir e respirar pelo nariz, que irão influenciar o futuro encaixe dos dentes de leite. Então, logo que possível, deve ser realizado um exame mais detalhado por um especialista nesta área, o odontopediatra, a fim de promover a saúde oral e favorecer a qualidade de vida do lactente.

No exame odontológico no recém-nascido são iniciadas ações educativas e preventivas de promoção da saúde oralalém do monitoramento dos arcos dentários e do crescimento e desenvolvimento orofacial, favorecendo a saúde, função e a estética do sorriso. Alguns bebês podem necessitar da ação conjunta do odontopediatra com profissionais de outras áreas – pediatra, otorrinolaringologista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo e nutricionista – para uma correta avaliação, intervenção e sucesso das ações preventivas.”

Quando a doença cárie está presente é PRECISO fazer alguma intervenção para que seja estabilizada e/ou eliminada! Para isso tratamentos curativos serão necessários, o mais comum entre eles é o tratamento de restauração em dentes de leite e/ou permanente, que consiste na remoção da lesão de cárie e  aplicação de um material adequado e biocompatível, os mais comumente utilizados são a resina composta ou ionômero de vidro, para que o dente tenha seu formato restabelecido e seja possível devolver condições adequadas para exercer suas funções, como mastigação e fala.

Você já ouviu falar sobre sedação em odontopediatria? Pois existe e pode ser uma ótima solução em alguns casos,  vamos conhecer algumas indicações:

Criança de baixa idade que apresenta múltiplas lesões de cárie – um tratamento realizado com sedação em odontopediatria faz possível que todos os procedimentos sejam realizados em sessão única sem depender da colaboração da criança e sem que seja necessário fazer a contenção física (segurar a criança).

– Criança/ adolescente autista que necessita de tratamento para doença cárie (restauração, tratamento de canal, extração) ou até mesmo tratamento preventivo (limpeza/raspagem de tártaro e selantes) e não apresenta adequada colaboração para que o tratamento seja realizado em consultório a sedação em odontopediatria se faz uma ótima opção de tratamento para que o paciente tenha a saúde bucal restabelecida.

Criança que precisa de tratamento imediato e não apresenta colaboração – o tratamento deve ser realizado o quanto antes mas se não foi possível o condicionamento do comportamento para tratamento em consultório o caso pode ser levado para sedação e posteriormente dar continuidade ao condicionamento e tratamento preventivo. Por exemplo, quando a criança mora em uma cidade que não apresenta essa possibilidade de tratamento, podemos realizar o procedimento e logo após a criança retorna para sua cidade e dá continuidade ao tratamento preventivo e condicionamento com o odontopediatra responsável.

“A Odontopediatria cada vez mais envolve diferentes áreas e novas tecnologias que não só fortalecem as manobras preventivas, como também as atividades restauradoras, reabilitadoras e cirúrgicas, objetivando sempre, uma abordagem conservadora, estética e funcional.

No planejamento do tratamento, o manejo da criança merece uma atenção especial e deve ser usado como recurso efetivo de qualidade, segurança, conforto e no bom relacionamento durante as intervenções clinicas exigidas particularmente em casos onde a cooperação infantil dificulta a decisão na técnica selecionada. A aceitação positiva da criança ao tratamento odontológico nem sempre é possível pelos meios comuns de reforço positivo e de comunicação, por alterações no desenvolvimento físico e/ou mental, da personalidade ou por doenças sistêmicas graves e experiências vividas anteriormente que revertem em graves distúrbios de comportamento.

A contenção química oferece apoio no tratamento de pacientes que tem dificuldade para cooperar nas consultas rotineiras, controlando o medo e a ansiedade, onde poderia ser exaltada ou agravada com a contenção física. Dentre os métodos empregados, a sedação com óxido nitroso, anestesia dissociada e a anestesia geral, quando utilizada por profissionais e/ou equipes especializadas munidas de equipamentos adequados, diminui os fatores de riscos e prioriza o bem estar do paciente.

A anestesia geral é definida como um estado controlado de inconsciência, acompanhada por queda parcial ou completa dos reflexos protetora, incluindo a habilidade de respiração com independência a responder voluntariamente a estimulação física ou comando verbal. A criança para tratamento odontológico sob anestesia geral necessita de ambiente hospitalar e do médico anestesista permitindo temporariamente a ausência de ansiedade e encontrando-se imóvel e inconsciente favorecendo assim o tratamento dentário.”

Fonte: Bengtson CRG, Bengtson NG, Bengtson AL, Pinheiro ASL, Mendes FM. O uso da anestesia geral em odontopediatria. Rev. Inst. Ciência Saúde.

 O que é a sedação consciente?
A sedação consciente é um grau de depressão mínima da consciência na qual a habilidade do paciente manter a respiração espontânea e contínua e responder apropriadamente à estimulação física ou comando verbal é mantida.

O objetivo da sedação é elevar o limite de percepção de dor e proporcionar bem-estar e controle do comportamento do paciente.
Deixar o paciente mais relaxado e tranquilo para o procedimento odontológico.

Quais as principais vantagens da sedação consciente com óxido nitroso?
Possibilitar que o paciente fique calmo, relaxado e apto a tolerar melhores situações sem dificuldades;
Fácil controle e reversibilidade rápida da técnica.

Como é feita a sedação consciente?
A sedação consciente é um grau de depressão mínima da consciência na qual a habilidade do paciente de manter a respiração espontânea e contínua além de responder apropriadamente à estimulação física ou comando verbal é mantida
É realizada através da mistura dos gases Óxido nitroso e oxigênio.
Mesmo com a sedação é realizada a anestesia local.

Pode ser utilizado para tratamento odontológico em crianças pois é seguro , na maioria das vezes eficaz, influenciando decisivamente no comportamento, diminuindo os níveis de ansiedade

Utilizada em casos muito de crianças intensamente ansiosas e não-cooperativas, onde há a necessidade de intervenção odontológica imediata como dor, infecção instalada ou trauma dental.

O uso da sedação inalatória em odontopediatria é vastamente difundido em muitos países e é a primeira opção de sedação para este perfil de pacientes (Houpt et al., 2004).

Quais os efeitos da sedação?
O objetivo da sedação é elevar o limite de percepção de dor e proporcionar bem-estar e controle do comportamento do paciente.
Deixar o paciente mais relaxado e tranquilo para o procedimento odontológico.

Qual a indicação de uso?
É importante frisar que a sedação consciente com óxido nitroso não é indicada para todos os casos. O principal motivo é que o gás precisa ser inalado pelo nariz.
Por exemplo: uma criança que chora muito durante o atendimento não irá respirar pelo nariz, portanto não é indicado o uso do óxido nitroso nessas situações. O uso de gás só é feito quando há uma pequena colaboração do paciente.
Indicado para crianças maiores ou que colaboram para o uso da máscara
Pacientes com medo ou ansiosos para o tratamento odontológico
Ela é indicada para proporcionar maior conforto e relaxamento durante os procedimentos odontológicos no consultório.

Existe idade mínima da criança para uso do gás no atendimento?
A idade mínima para uso de sedação consciente com óxido nitroso é a partir dos 2 anos de idade, pois a sedação inalatória depende da colaboração da criança para “cheirar” o gás na máscara. Crianças menores de 2 anos não têm maturidade para isso na maioria dos casos.
É importante lembrar que mesmo crianças maiores de 2 anos precisam ser colaboradoras, ou seja em alguns casos é necessário fazer o condicionamento do comportamento antes da sedação consciente.

O gás faz o paciente dormir e/ou ficar inconsciente?
Não. A sedação não deixa o paciente inconsciente nem dormindo, pode acontecer de ficar sonolento.
O efeito é para o paciente ficar mais relaxado porém responde a todos os comandos e consciente, além disso se lembrará de tudo após o término do procedimento.

É seguro?
Muito seguro e de fácil reversão, caso seja necessário ou ao final do procedimento.
. O gás é totalmente eliminado após o término da sedação, sem deixar nenhum efeito indesejado como sonolência, sendo assim o paciente seguirá seu dia a dia normalmente.

Quais os cuidados pre-sedação e pos-sedação
Qualquer profissional de odontologia pode ministrar a sedação consciente?
A regulamentação definitiva no Brasil da técnica de sedação inalatória, muitas vezes denominada também analgesia relativa ou analgesia inalatória, ocorreu baseada no relatório final de discussão do Fórum sobre o Uso da Analgesia em Odontologia, promovido pelo Conselho Federal de Odontologia em março de 2004, na cidade do Rio de Janeiro. A publicação da resolução n° 51/2004, em 12 de maio de 2004, regulamenta as condições para o exercício desta técnica no Brasil.

Os selantes são muito conhecidos pelos pais de crianças com idade média de 6 anos, pois é nessa idade que os primeiros molares permanentes começam a nascer na boca da criança (um dente grande que nasce lá no fundo).

selante consiste na aplicação de um material que irá cobrir parte dos sulcos (“buracos” que fazem parte da anatomia do dente), para que a higiene seja facilitada pois diminuirá o acúmulo de sujeira naquele local de difícil acesso.

Ele é indicado especialmente no primeiro molar permanente pois esse dente apresenta uma localização de difícil acesso no momento da escovação e muitas vezes a cárie acontece antes mesmo do dente nascer por completo.

Quando falamos em saúde bucal sabemos que muitas doenças podem ser prevenidas ou tratadas precocemente, porém existem situações que fogem do nosso controle, esse é o caso do trauma dentário, ou seja, quando a criança sofre alguma queda/acidente e bate a boca e/ou os dentes.

Esse é um momento de grande apreensão para os pais e responsáveis, mas é muito importante ter conhecimento sobre como agir nesse momento. A criança deve receber os primeiros socorros, verificar se apenas os dentes foram afetados e então deve ser encaminhada imediatamente para avaliação com o odontopediatra. Existem diversos tipos de fraturas e cada uma delas terá uma conduta específica a ser realizada, lembrando que para a maioria desses procedimentos, quanto mais cedo houver atendimento maiores chances de sucesso!

ENTRE EM CONTATO PARA SABER MAIS SOBRE TODOS OS TRATAMENTOS DISPONÍVEIS!

Nossa Equipe

Dra. Melina

Dra. Melina Vitali

Dra. Maria Paula

Dra. Maria Paula

Dra. Mayra Frasson

Dra. Mayra

Dra. Marília Franco

O que as Mães falam!

Fale conosco

Será um enorme prazer falar com você! Utilize o formulário abaixo que em breve lhe retornaremos.


    LOGO

    Endereço

    Av. Madre Leonia Milito, 1500 – Sala 2103 – Londrina/PR

    Telefone

    Copyright © 2022 Melina Vitali  – Todos os direitos reservados | Desenvolvido por www.suaempresa.online